Reencontros

Hoje, encontrei alguém que eu não via há muito tempo. Nossos olhares se cruzaram pouco tempo depois de eu ter subido naquele ônibus. Ela, eu conheci na adolescência, e mesmo após 15 anos, não mudou muito. Apesar de não me recordar de seu nome, eu sabia que era ela.

Não sei se era pelo horário e ela ainda estava sonolenta, ou só não me reconheceu mesmo, mas não tive uma resposta quando a cumprimentei. O ônibus estava cheio e estávamos distantes, mas mesmo que não estivéssemos eu provavelmente não teria me aproximado para puxar conversa. Além de todo o tempo que passou até esse momento, eu nunca fui uma pessoa boa em começar uma conversa e nem de me lembrar de nomes… Aparentemente, eu sou melhor com palavras escritas do que com as faladas, principalmente pelas manhãs, pior ainda numa segunda feira de manhã.

As lembranças duraram desde o ponto onde eu peguei o circular até onde descemos… Sim, descemos no mesmo ponto, uns 45 minutos depois. A coincidência é uma força curiosa…

Ao aproximarmo-nos de nosso ponto final, o ônibus já estava bem mais vazio e ambos estávamos sentados em lugares afastados um do outro. Ela se levantou e enquanto passava por mim, me olhou pelo canto dos olhos e sorriu. Sei disso, porque acompanhei ela, também de soslaio, até passar direto pela minha esquerda, não antes que eu pudesse perceber o seu sorriso, é claro.

Eu me levantei, e fiquei esperando atrás dela até que o ônibus parasse, então, descemos, ambos em silêncio.

Já fora do ônibus seguimos direções opostas, não havíamos nos distanciado muito um do outro, foi quando eu olhei para trás, na direção dela. Para minha surpresa, alegria e euforia (voltei a ser adolescente por um instante), ela também estava me acompanhando com os olhos. Então, ela sorriu e me olhando nos olhos, simplesmente disse “tchau!”

Anúncios

Olá, mundo!

Esta é a minha primeira publicação. O “Cartas lidas” é um blog irmão do “Sonhos de Nankin“, meu outro blog com ilustrações.

Além de desenhar, eu gosto de escrever. E como nunca coloquei em prática e nem expus esse lado, resolvi a partir de hoje, tentar algo novo e diferente.

Irei usar esse espaço para escrever sobre o que vier à cabeça nos próximos dias.

Não sei qual será a frequência, mas se você passou por aqui e gostou do que leu, ou não, mas quer conversar, debater e fazer uma amizade nova, me segue!

Ninguém agrada a todos, e nem é meu interesse. Não tenho grandes pretensões por aqui, além de escrever.

Esse espaço é livre e sem restrições, vamos ver o quê vai acontecer.

Então, sejam bem-vindos!